14/05/2009

Desigualdades Alimentares

Um video que representa as desigualdades alimentares existentes no Mundo.

video

Realizado por: Grupo 3, 12ºA

06/05/2009

Livros


Deixamos aqui alguns títulos de livros que podem ler, acerca de distúrbios alimentares:

- "Fome de Rosas", de Rosângela Vieira Rocha
- "Alice no espelho", de Laura Bergallo
- "O vício da perfeição", de Marion Woodman

- "Anorexia Nervosa, Minha Amiga", de Dulce Bouça
- "Saber emagrecer", "Porque não consigo parar de comer", "Alimentação Saudável" e "Alimentação Segura", de Isabel do Carmo

30/04/2009

Termina hoje, 30 de Abril, a semana de apresentações dos trabalhos de Área de Projecto.
A nossa apresentação correu bem e achamos que os nossos colegas conseguiram compreender o conceito de distúrbios alimentares e o que eles implicam para a nossa saúde. Para a semana vamos colocar aqui os filmes por nós realizados para poderem ver quando quiserem!
Hoje fica um anúncio publicitário de alerta para a anorexia e uma canção dos Silverchair denominada por "Ana's Song".
video
video

27/04/2009

Apresentação final


Amanhã, 28 de Abril de 2009, vai realizar-se na sala 4D, pelas 11.40h, a apresentação final do nosso trabalho.
A apresentação será constituida por uma apresentação em Power Point, filmes relacionados com o tema e terá a participação do enfermeiro Hugo Vidal. No final serão distribuidos panfletos.

Esperemos que seja do agrado de todos os presentes!

Inquéritos

Apesar dos inquéritos e o seu tratamento terem sido feitos no 2º período só agora pudemos colocar aqui os dados.

O inquérito feito aos alunos continha quinze perguntas sobre hábitos alimentares e distúrbios alimentares e foi feito ao universo de 100 alunos. Agradecemos desde já a disponibilidade dos nossos colegas de 9º, 10º, 11º e 12º ano em terem respondido ao mesmo.
Vamos apenas referirmo-nos às questões que achamos mais relevantes.

Apesar do tema “Distúrbios Alimentares” ser bastante actual constatámos que ainda existem bastantes alunos que desconhecem alguns distúrbios, nomeadamente a Ortorexia.
Para a maior parte o distúrbio alimentar mais prejudicial é a anorexia, seguido da bulimia e da obesidade.
Relativamente aos hábitos alimentares dos alunos pudemos verificar que, apesar de haver algumas falhas, principalmente em relação à tomada de pequeno-almoço e à ingestão de leite e sopa, se encontram nos parâmetros aceitáveis. É também de referir que não são consumidores de bebidas alcoólicas e que a maior parte pratica exercício físico.

Através da realização deste inquérito conseguimos perceber quais os hábitos alimentares dos adolescentes e compreender o grau de conhecimento dos mesmos em relação aos distúrbios alimentares.


Fizémos também um inquérito à psicóloga da clínica "Riaviver", que vamos colocar aqui:

P : As pessoas que recorrem à ajuda de profissionais vêm por vontade própria, porque se sentem mal com a situação em que se encontram, ou por incentivo ou pressão por parte da família ou amigos?
R: As pessoas têm pouca consciência da situação em que se encontram, da própria alimentação e dos distúrbios que possam estar ou vir a sofrer. Por isso, geralmente, vêm por incentivo de algum familiar ou amigo.

P: Os distúrbios alimentares são frequentes em que faixa etária?
R: Só vai à clínica quem quer. Depende das idades: os jovens, são ‘’empurrados’’ a estabelecer contacto psicólogos, já os adultos são influenciados pela família ou por amigos, mas têm de ter motivação pessoal.

P: E qual o sexo mais afectado?
R: Os distúrbios alimentares encontram-se tanto no sexo feminino como no masculino, apesar de na mulher haver uma maior incidência, uma vez que a pressão social ligada ao estereótipo da beleza, é enorme. Esse estereótipo de beleza está a afectar também a comunidade masculina, como por exemplo os metrosexuais, que têm cuidados excessivos com o corpo.

P: Qual a explicação para pessoas ditas ‘’normais’’ se tornarem obsessivas pela alimentação como as pessoas que sofrem de distúrbios?
R: Estas pessoas podem tornar-se obsessivas devido à exigência social, à exagerada preocupação em relação ao peso ou a qualquer outro aspecto relacionado com o seu corpo.

P: De que forma estas pessoas podem ser ajudadas?
R: Dentro da psicologia há vários tipos de terapias e de métodos:
- Alterar alguns pensamentos e aplicar técnicas comportamentais: levar um dia de cada vez;
- Trabalhar em conjunto com nutricionistas. Por exemplo, se o nutricionista diz: ‘’fazer 6 refeições por dia’’ o psicólogo ajuda a pessoa a ultrapassar as dificuldades que tem em lidar com a alimentação e com a ideia que tem de fazer 6 refeições por dia, explicando a importância que isso tem.

P: Quando falamos em distúrbios alimentares, falamos também de distúrbios do foro psicológico?
R: Os distúrbios alimentares são processos compulsivos ou razões racionalizadas e impostas pela cabeça. São complicados, tanto o foro psicológico, porque as pessoas não reconhecem o problema, como os distúrbios alimentares, pela alteração do metabolismo da pessoa.

P: Essas pessoas conseguem superar os distúrbios ou fracassam e desistem do tratamento?
R: O processo de recuperação pode demorar muito tempo e em situações graves pode não chegar a tempo.

P: Quando é que as pessoas são internadas?
R: O internamento só é feito por força de uma debilidade física causada pela obsessão.

P: De que forma a família intervém, mesmo que indirectamente, na obsessão pela alimentação de modo a sofrer de distúrbios? E na sua recuperação?
R: Quem está de fora, acaba por entrar na confusão da pessoa que sofre. Quem tem a sorte de ter amigos e uma "família chata", tem mais probabilidades de superar esses pensamentos - Chata no sentido de ‘’come a sopa toda e come mais isto e aquilo’’.

P: Que comportamentos devem ser evitados?
R: Evitar o pensamento obsessivo com a estética. Pode ser evitado pois se uma pessoa entra nessa obsessão em relação à estética, pode ficar mesmo alterada mentalmente (compulsivo).
Deve ser controlada a falta ou excesso de comida.

13/01/2009

As intenções deste blog

Além de ser um tema muito actual, devido ao grande número de pessoas por todo o mundo a sofrer de doenças alimentares, o grupo optou por este assunto como tema na disciplina de área de projecto para dar a conhecer aos colegas (de turma) e aos leitores deste blog os tipo de distúrbios, as causas e consequências, assim como fornecer contactos para a ajuda.

A finalidade do projecto

A finalidade do nosso trabalho é sensibilizar as pessoas para a necessidade da prática de uma alimentação equilibrada e informá-las das consequências, assim como das causas, de possuirem uma doença alimentar.
O primeiro passo para manter uma alimentação equilibrada é o cumprimento de algumas "regras", como as seguintes:

  • Consumir refeições fraccionadas (três principais e duas a três intercalares);
  • Não omitir o pequeno almoço, pois é a refeição mais importante do dia;
  • Consumir diáriamente leite e derivados (queijo e iogurtes...);
  • Comer legumes, saladas e frutas frescas diáriamente;
  • Evitar o consumo de gorduras saturadas (existentes em pizzas, batata frita, molhos, bolos, hambúrguer, charcutaria,..);
  • Consumir carne, peixe ou ovos em duas das refeições principais;
  • O azeite é a melhor gordura, quer como tempero, quer para confecção dos alimentos;
  • Moderar o consumo de açúcar e alimentos açucarados.